sábado, 14 de janeiro de 2017

A mansão hermética

Gira a roda gigante
do "Samsara"
gira
gira sem perguntas
e sem respostas

a mansão subterrânea
inacabada fora visitada

para uns ela estava inacabada
para outros era já ruínas úmidas

eu tenho a dizer que 
já a tinha visto pronta
mas ninguém me acredita 

somente o quintal imenso 
cercado por muros altíssimos
não mudara
porque sempre esteve vazio

era um quintal de terra com um
outeiro no centro
de cuja cavidade brotava água

o resto era espaço vazio
por isso não se modificava 
nem no passado nem no futuro

e podia ser obra começada
e podia ser ruínas

a casa do mago me era muito familiar
eu não acharia nela o dono
eu era um convidado de honra
(de minha própria sombra)

mas lembro-me que 
as paredes faraônicas eram na cor do vinho
tendendo para o borgonha

lembro-me de quando cheguei e olhei o 
pátio do quintal 
através  de uma escotilha 

foi no tempo em que eu
estava de fora
tentando ver o senhor da casa
e querendo entrar
sem pôr nada na arqueta

quando soube 
quem era o senhor da mansão
eu me vi do lado de dentro
e tudo o mais
ficou do lado de fora

do outeiro
eu bebia a água de
espagírica natural 
em três goles

sete aves vinham cantar
no centro
e anjos protegiam a casa
Hosana(!)

foi no tempo que tudo terminou
lá fora como aqui dentro 
da "Garbhagriha"
a cor é bordô
mas as grades
são sempre pretas




.


                                        ///

Nenhum comentário:

Postar um comentário