quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

sofrimentos


Cada parede é impregnada de assombros/
traumas/traças e cupins 
que não degustam memórias
ou tempo que não move carrilhões

cada drama tem seu segredo
e a mordaça que deforma a face
que prende as lágrimas

oh cuidado com os amores
são todos falsos e traiçoeiros
se hoje te amam amanhã
podem te odiar

o sofrimento é uma orquestra imaginária
na concepção dos sentimentos invariáveis
é um peixe que tem medo do fundo
e por isso criou escamas

(a máscara é somente a pele que se vê quando não se olha)
o corpo continua a ser enquanto não chega a hora
e pensamos que somos um pacote de células morredouras
um viveiro de bactérias e criaturas outras

mas só o que nos pertence é o calor das lágrimas
que nos aquece quando percebemos que ninguém se importa

com a morte paulatina do próximo do próximo 
e do próximo

                               
///


foto: óleo sobre tela de Leles- dez/2016




Nenhum comentário:

Postar um comentário