quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

uma semente

Uma semente
foi feita para esperar
é como estar
no estado dormente
sob a neve
até a primavera

hoje eu sou
a semente
sem chão
ameaçada pelo
javali de Erimanto
mas zelada
por misteriosas mãos

                      mãos que sempre cuidaram de jardins

na vida temos sombras que beneficiam o germinar
e são delicadas quando não vigiadas pela razão

os olhos que hoje são livres mesmo cerrados podem voar
é que quando somente se espera
deflagra no peito uma vontade louca de achar
abraçar e beijar

urge nadar
sobre a fossa
das marianas
sem se afogar

só digo isto porque
em minha credulidade
de romântico solitário

defendo que dois corpos
embriagados de paixão

podem sim
ocupar no espaço
um mesmo lugar 


                                                //////////////////////

Nenhum comentário:

Postar um comentário