quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

abismo sem fundo

Quando o amor voltar
trará coisas belas

uma pequena concha
um ramo de ouro
ou cinco folhas de louro

quando o amor voltar
voltará com o mesmo olhar
trazendo hortênsias
que brotam em nuvens
macias e singelas

que cruel
o meu amor sempre vai embora
e por entre sombras
de palácios se esconde
por vezes sinto que
o amor chora

posso só enxugar
estas lágrimas (?)
ai
quisera (!)

sou um frasco de soluços
sem muita chance
de ser amado
sou um homem
com mente de criança
sem ter para onde ir

sou só um homem
que sonha
enquanto cai
de um abismo profundo
sem borboletas que salvam


quão distante está 
o meu corpo do chão(?)
eu não sei
eu não sei

eu sei apenas que
quando o amor voltar
trará coisas belas




.







Nenhum comentário:

Postar um comentário