sábado, 4 de fevereiro de 2017

entrelinhas


No céu da boca
mora uma serpente
uma vez expulsa deste céu
ela expele o mal

e o mal faz-se verbo
e a fala contamina
o ambiente

melhor que a língua
continue no céu
de estrelinhas
que é seu lugar

dir-te-ei 
coisas nestas
linhas entre


beijos e
segredos
versos e desejos
sem ao menos falar


.








Nenhum comentário:

Postar um comentário