terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

rosas apavoradas


Ó rosas(!)
tão cálidas rosas(!)
quando ouvirem
um gruído
não se despetalem de medo
nem mudem a cor

é somente o homem
(selvagem como sempre) 
solto nas ruas por que
o destino lhas plantou
ó rosas sensíveis

por vezes bem-arrumado
fingindo civilidade
por vezes bicho mesmo 

nossas ruas
estão cheias de bichos meu amor
o"bicho homem" que rouba 
e que briga no trânsito
ou se diverte causando tormentos

que solta o GROU
e descarrega seu
instinto nos demais 

o "bic'homem" anda livre
enquato o homem de bem
vive em casas
que são jaulas
lendo ou vendo os jornais
(para se ver mais desesperado)

portanto
ó meigas rosas
rosas tão meiguinhas
tão frágeis e
pequenininhas(!)
não entrem em pânico jamais

infelizmente ao fim dos tempos
sejam bem-vindas



            //////////////////////////////////////////
                ////////////////////////







Nenhum comentário:

Postar um comentário