terça-feira, 14 de março de 2017

companhia

Os homens
pela gana
consumidos
sumiram
devido à ânsia

eles detestam
o deserto

se eu conversasse
com alguém
minha voz teria
da onça
o ódio do rugido

quiça a doçura
das distâncias

eu porém nunca
converso
sou como
essas serpentes
discretas e diligentes

penso que são frouxos
os animais domésticos
mas gosto deles
como eu gosto dos
animais silvestres

e para
que os gatos
não morram
de solidão
dentro do meu lar
e no terreiro

criei um dialeto
com certa vibração
isto lhes dá
conforto
e confiança

meu próximo passo
será livrar-me
da companhia de energia elétrica

eu quero o vento
para os moinhos
e o Sol sobre os painéis

mas antes disto
eu os quero
meus companheiros





         ////////////////////////////////

Nenhum comentário:

Postar um comentário