terça-feira, 28 de março de 2017

espaços

(...)e levou-me
às pradarias
da melodia
alada

se falou
de risco de morte
deixou claro
que o tempo não é nada

e levou-me
ao limiar
do choro
ao cume
do monte Meru

escancarou minhas raízes
mostrou- me horizontes
perdidos na imensidão

e meu espírito
se regozijou
infiltrado no
espaço verdemar
como quem cai
plana ou cai

ave do oriente
em deleite
já que nunca
chega ao chão






/////////////////////////////////////////////////

Nenhum comentário:

Postar um comentário