terça-feira, 28 de março de 2017

"Qorpo santo"


Seus cabelos
já estavam
quase como a neve
nas culminâncias
de sua aura

sua voz desmente
sempre

morre cedo
quem o chama
de demente

seu corpo  permanecia
santificado
em movimento
inerte

as algas
de Netuno
rompiam todos
os grilhões

mas caiam sempre
sobre suas sandálias
em praias condenadas

quanto mais zombado
ele era
mais santo se tornava
e seu grande amor
não haveria de fenecer

quem o seguia
vivia no céu
tendo os pés 
no flanco da Mãe

um cetro o
acompanhava
(na verdade
era um punhal)

não era
apenas um brilhante poeta
por isso só morreria
ao pingar o seu ponto final

o humor era para
aliviar o peso
de seu cálice

o cordeiro
era para
controlar o seu leão

muitos reconheciam
a sua voz
mas tinham vergonha

no entanto
quando se consumou
a sua glória
era tarde

somente os seus
foram preservados











/////////////////////////////////////

Nenhum comentário:

Postar um comentário