terça-feira, 25 de abril de 2017

das imagens

O poema de ontem
já não me serve mais
por que você o guarda(?)

tudo que se guarda vira
verdade repugnante
meio morta
com cheiro alérgico

mas este verso
tem o cheiro do funcho

e das hortaliças
que molhei pela manhã

que não se ache
entressachado entre nós
um deus ou uma imagem

porque as imagens só
não se apagam
por causa do medo
que nos torna réus

e se eu não tenho medo
de estar sozinho no universo
ao não
abraçar os ideais
dos homens

como você pode
de mim guardar
uma imagem ou
como pode temer
o calor do meu abraço
se eu nunca
lhe prometi
o céu(?)










Nenhum comentário:

Postar um comentário