sábado, 1 de abril de 2017

DESENCANTO


A água calma na madrugada
não tem culpa
se reflete a lua

nem a poeira lunar
tem a ver com
o líquido

se a alma é um reflexo 
no corpo
deve existir
no céu um opulento espírito
que a ilumina

a alma em sua monogamia
só se separa do corpo
para se unir ao espírito

o corpo e a alma não se tocam
o espírito é o avesso da alma

e aquilo que eu tenho buscado
é apenas o meu reflexo

ah desazo meu(!)
se nem com ossos
a minha imagem
eu consigo contemplar

quem dirá o Espírito
que está no céu
que de tão vasto
caminha na escuridão do mar







//////////////////////////////////////////

Nenhum comentário:

Postar um comentário