domingo, 30 de abril de 2017

existência

O que vejo
nas miçangas
são partes de mim
em almas
que aprazo
estimar

alguém que sabe
tudo da minha
desastrosa
e poética infância

alguém que conhece
o meu lado
obscuro

alguém que
mais do que este
viveu meu
sofrimento
na carne

alguém que
busca a paz
universal
na outra metade 

alguém
que almeja
companhia
para a luta
que se inicia

ou alguém que
só quer comigo
repousar entre
as flores bem cuidadas

alguém que
só deseja me amar

eis porque não
faço de meus versos
um muro de arrimo

porque eu não passo
de um solitário "menino"
que nem vê
esse "alguém"






/////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

Nenhum comentário:

Postar um comentário