domingo, 30 de abril de 2017

Limbo

Encontrei-me
no coração
da floresta

não sei o
que faço
não sei o que é

não faz
sentido
toquei-me

mas é você
que me prende
na incerteza
do vazio

areia branca
causa que não
cessa nessa
ampulheta
de prata e vidro

estrondo
saudade
dos antigos planos
do sonho infame

os liames
do destino
travado
na teia inversa
de um relicário






//////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

Nenhum comentário:

Postar um comentário