quarta-feira, 26 de abril de 2017

orquídea negra

Há coisas que temo
porque não sei
até onde
sua pureza é
feita da branca seda


e o mundo
é uma girândola
de abutres
atrás de carne fresca

fico com  o coração
na mão cheio de angústia
cheio de tristeza

tem dias que eu
gostaria de me ver
dentro de uma
garrafa de vidro
hermeticamente
fechada
lançada ao mar
para ser errante

desta forma
eu não lhe feriria
e não temeria
por seu destino
tão delicado
ó face de flor

perdão
perdão é o que lhe peço
eu nasci poeta rude
e só sei cultivar
orquídeas negras
nessa estufa

em terreno onde
tudo ao redor
é estéril

já pensei
em não apertar tanto
a tampa da garrafa

mergulhar
profundamente
porque há muitas coisas
que temo

uma delas
é a beleza
dos seus mistérios









///////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

Nenhum comentário:

Postar um comentário