sexta-feira, 28 de abril de 2017

permacultura

Não me interessa
a poesia fuga
e frouxa
a convergência
para a utopia
extrafísica

como se fosse
penas de galinha
se desprendendo
das asas d'um
anjinho de balé russo
ou da primeira comunhão

eu quero a
poesia da vida
mas vida livre
livre da ilusão
estabelecida

LIVRE DO PODER
livre da ganância
que são as serpentes
mais perigosas

o sofrimento
pode ser rotina
mas não é a REALIDADE

o sofrimento
fora semeado
pelos homens
nele não brota a
esperança da
"permacultura"

vida para mim
seria em resumo
cultivar e guardar 
o paraíso terrestre
                                eis a origem da poesia




////////////////////////////////////////////////

Nenhum comentário:

Postar um comentário