terça-feira, 25 de abril de 2017

sorria, você está sendo tocado


Deram-me sobejamente
amor moldado em som

e eu dei-lhes
o meu verso sofrido
cacos quebrando-se
nestas minhas
mãos frementes

toca a hera das muralhas
enquanto as cabeças
são encolhidas
e quando já quase
cabem numa mão

para o perigo
das emboscadas
o sonho acaba

sem contato
sem brinde 
num bosque

se cuidam dos que dançam
e nunca vivem

porque pensam
por um trigo
sonham as imagens
e pensam que
sou riso

                     não é natural


sonhos para
ter taças na
sorte
estremecida
 breve estrídulo
riscando mais linhas

o impossível
a flor se revela


e tudo recomeça





///////////////////////////////////////////

Nenhum comentário:

Postar um comentário