sexta-feira, 5 de maio de 2017

ACONTECEU


Agora sim
a poesia
está morta

morta
mosca
morta

no jargão
escatológico(:)
"fodeu o batatal"

pobre poesia
foi ficando
cega como Borges
surda como Ludwig
sem chão como eu.

o que vejo 
a minha frente
é uma corja
de homens


homens todos falsos
esmagando
animais indefesos

eis a covardia humana
a sacanagem
escancarada

nada mais há do que
miséria
traição
e sujeira sob o carpete

meu erro
foi entrar pela
porta dos fundos
e ver a realidade

deparar-me
com esta putaria
a que chamam
"VIVER EM SOCIEDADE"

raça de víboras(?)
não sejas
tão tolerante
nobre Jesus

a víbora não
é tão desgraçada
vil
e covarde assim

que meu amor
alcance o nirvana
e se liberte desta joça
(o quanto antes)

lamento meu bem
mas agora
a poesia
é morta

morta
mosca
morta








/////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

Nenhum comentário:

Postar um comentário