segunda-feira, 15 de maio de 2017

antítese


Amanhã
ser humano
pela manhã

Sol que arde
de tarde
à noite
ser fera 
sonhar-te bela

ontem 
levar estômagos
no oco de um soco

da córnea cega
ser servo da usura
do dedo preso
cerrando os nervos

hoje porém
tecer o céu
sem ter fiel
medir o inferno 
pesar teu véu







////////////////////////////////////////////////////////

Nenhum comentário:

Postar um comentário