quarta-feira, 17 de maio de 2017

critério

No mês de maio
quando as flores
tiverem sede
e a sede sete
vidas

a morte fugirá
dos detalhes
como os sonhos
que escorrem
por entre os dedos

não os meus sonhos
os quais agarro
como num galope desesperado
agarro-lhe as crinas
para não cair

os meus sonhos
são como as contas
que o devoto conta
(todos os dias)

falo dos sonhos
universais
da conquista
do paraíso
que perde as
forças

a morte não escolherá mais
suas vítimas a dedo
será na veneta
na roleta







///////////////////////////////////////////

4 comentários:

  1. Olá, querido Arnaldo!

    Há qto tempo eu não passava por aqui!

    Teu poema está linda e inteligentemente criterioso.

    O mês de Maio é, no Hemisfério Norte, onde se situa Portugal, meu país, tempo de flores, de renascimento de vida e de sonhos, particulares e universais, naturalmente. E o sonho comanda a vida e só ele poderá derrubar a morte. O paraíso espera todo o mundo .

    Beijos e lindos dias.

    ResponderExcluir
  2. Amo Portugal, embora ainda não conheça. Tens muita sorte! Um abraço poetisa Céu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se já amas Portugal sem o conhecer, então, te digo que aqui reina a segurança, a paz, o correto, não só politicamente, mas há gente ruim por aqui, tb. Ultimamente, tem havido um ou outro crime passional.

      Há tantos brasileiros por cá e dizem, sem hesitar, que voltar para o Brasil, nem "mortos". Isso me faz pensar, acredita, pke nosso país, por pior que seja, é nossa pátria.

      Meu país é um átomo, qdo comparado com o teu, mas vai dando para os nacionais e para os estrangeiros, que cá ficam residindo.

      Beijos e se anime!

      Excluir
  3. De fato o meu país é quase um continente e é belíssimo também. O que o estraga é justamente a corrupção e o descaso, quanto à educação.
    Estamos passando agora mesmo por um grande escândalo na cúpula administrativa, e talvez haja outro "Epicheman". A democracia está enferma novamente. A razão principal
    para que os brasileiros digam isso, é principalmente a falta de segurança.
    De Portugal eu gosto do sossego das ruelas, dos casarões, do "fado", enfim...A única coisa que não me agrada é a tauromaquia, mas aqui há algo semelhante que são os "rodeios".
    Obrigado Céu!
    Paz!

    ResponderExcluir