segunda-feira, 12 de junho de 2017

restos



A canção das folhagens
que fala do clarão verde
que transpassa a névoa
penetrando  na floresta
não ouviremos mais

em vão peregrinam para Lumbini 
mas como o lótus
que a água não toca
quem o Buda ouvirá(?)

porque há tantas distrações
no caminho de hoje
que nos contentamos
com a teoria da verdade
como se esta fosse aquela

e enganamos o mundo todo
e a nós mesmos

certamente em pouco tempo
colocarão nosso corpo
num caixão
ou seremos cremados

não importa
não sobrará nada

ai de quem tem
um parente artista

carregará toda obra
de uma vida nas costas
terá um museu pra 
cuidar(?)

eu queria que o fogo
consumisse tudo que eu fiz
que apagasse as minhas marcas
que consumisse até o que andei pensando

eu gostaria que deletassem
tudo de mim
e que todos me esquecessem
antes da alvorada

não
não me leiam
quando eu me for

não discutam a minha vida
nas escolas
isso é tão assombroso





/////////////////////////








Nenhum comentário:

Postar um comentário