sábado, 15 de julho de 2017

...




Dera tudo
e a dúvida
assombra

sentiu algo
despertar

centelha
calcificada
vibrando
pólens

luz crepuscular
nata alaranjada
do ferro orvalhado
zomba a gralha
empedernida

"quem tu pensas ser
quem tu pensas querer(?)"

vitrifica-se
mais uma vez a
espera
raspa de sentimentos
indulgentes com a
demora

qual o significado
dos meus sonhos(?)
que prazer faz
miúdas flores
imunes  à maldade


o quanto vale a ave
livre sem suas asas (?)

macerou as bagas da alfena
dos campos que apontam
com seus ramos
o rumo do amor verdadeiro

vou sumir como
a estrela que se desfaz
no cinza do dia
que vira trevas

ai
que ironia(!)

esperava
ser guardião
de um bosque
de vidro

até o amor
se abrir
mas pelo visto
a morte
para mim
vem a galopes
dando golpes

há corujas
bendizendo o beijo

ah meu querido bem(!)
e esse toque
do silêncio
pirografado
em troncos de carvalhos
lembras (?)

pequeninos coracões
com nomes arranhados
elevaram-se
pois tudo no mundo cresce

mais perto das estrelas
estão os nossos
nomes verdadeiros
num círculo mágico
sobre o tronco encantado

a morte
só nao se nutre dos elementos
que encontro na minha
solitude orgânica
no templo vazio
que te descrevi em vão

sala onde estertorava
toda a certeza da visão abstrata
ainda linda
a me sorrir

então salve
salve
o amor
que simplifica (!)
mas pelo amor
dos demônios
puros
discorras sobre o
amor verdadeiro
o único no qual
ainda cremos

porque
ando farto
do cariz de minha alma
que não elucida quem sou
e complica
a tua certeza





///////////////////////////////////////////////

sexta-feira, 14 de julho de 2017

canto triste


Eu preciso do lirismo infrene
de meu verso romântico
meio piegas

e de gravar sinais raros
na face da ágata verde
de uma alma ré da distância

eu preciso colar meu
verbo sussurrante
como o ouro e a jade
em tua nuca

eu preciso do pecado 
do precioso beijo
cujo desejo invade
o imo e na pele
enraíza-se calado


preciso da falência
desta tua lógica para que 
o delírio seja 
um colosso surreal

preciso da tua indefensabilidade
para que o amor
não se vá a favor do vento
como a flecha mortal

contudo se não der
eu preciso apenas que 
sejas feliz
mesmo não sendo ao meu lado





//////////////////////////////////////////////////////













////////////////////////////////////////////

segunda-feira, 10 de julho de 2017

TRANSFIGURAÇÃO


livre
livre de
toda a carga
mental
aflitiva
e vã

havia um planeta
sob meus pés
mas em mim
não havia peso

talvez não fosse
a força da gravidade
talvez fosse você
a me atrair

na vida uns contam
malmequeres
outros não ousam
margaridas











///////////////////////////////////////////////////////

LEGO


Ó meu Deus
como somos pequeninos
mesmos os que
parecem grandes
na carne e nas posses

e como nos
permitimos iludir
achando que somos
pequeninos
ou grandes

é que na verdade somos
seres eternos
e completos
mas patéticos
ante ao filme que nos
propusemos
a assistir

(o filme da existência)

onde a pessoa amada
de nós está
alheia

mas será que realmente
estamos sofrendo
tudo que sofre
o eu protagonista

ou já temos
a consciência
de que tudo
não passa
de um filme

com o qual nos
identificamos
a esse herói
na busca
de seu amor
e do lego da
realização
pessoal(?)







///////////////////////////////////////////////////////////////

A IMPERATRIZ E A DEUSA

Me entristece saber
que o homem
(muitas vezes tão educado)

guarda consigo
um princípio explosivo
capaz de destruir
todo o planeta

nem preciso ir
mais longe e
falar de seres
extraterrestres
ou robôs assassinos

o próprio homem
apenas por uma palavra
infeliz pode acender
o pavio do fim

se pelo menos as mulheres
assumissem o comando
sem a presença dos homens

como se sentirá uma
mulher no comando
com uma ciranda
de machos estúpidos
lhe pressionando(?)

não não
eu aqui falo de um
matriarcado absoluto
incluindo a "Mãe Terra"
e a religião

eu não quero
fazer suposições
só garanto que não
haveria guerras











//////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////

sermão em mãos



Poema casto
insano
um laço de
nastro
no dedo

evoca a ebulição
do que me
negas
quando solene
castras o meu desejo

poema boca
poema costas
poema nas
linhas das mãos

dá prazer o que
nos causa esse medo
dá medo quando
não se tem prazer

domingo, 9 de julho de 2017

BABA


Escolhi uma
tumefacta teta da
mãe Terra
pra viver
embora duvidoso
é todo escolher

escolher é igual
a rimar
não queres tu
"ma fa rima"

escolher
parece dez espelhos
"noves fora"
remanesce
naqueloutro
a vontade
em vulgo  erro

eu por morte
vejo-me aqui
no alto desta mama de mãe

e na fila de um
MacDonald's
qualquer

clamam pai
              paz                
                    e com ketchupe
                    os ais
qual queres (?)

isto me leva a refletir
espelhos tem olhos
ou olhos tem esp'olhos(?)

Ah Dama(!)
teu jardim tem
três fontes

Adam
Éden
e a seca Edom

ou será a dupla
Pison e Geon
da bíblica"terra de Cus"
filho de Cam
e irmão de Pute(?)

sei que só escrevinho
mas não bebo
(vinho)
novinho
beba
Babalon
baba
ele estava sonhando
mil girassóis
no caos
assombrado
dos lugares
gélidos










////////////////////////////////////////////////////////////////////

sábado, 8 de julho de 2017

minha alma indomável


É compreensível que use
o luto como máscara
e como casulo

mas rosa e branco
é o seu coração
sensível

as vestes rosa
o branco da flor
tudo isso revela
a falta do verdadeiro amor

mas o negro é a cor
da armadura de ferro
quem nunca sonhou em ter
um cavalo negro
e cavalgar pelos campos(?)

é desse contraste entre
a delicadeza e o selvagem
que eu tento falar

vão dizer que sou louco
mas o remédio para
o instinto
é o jeito de amar




//////////////////////






PENUMBRA AZULADA


A vegetação sob
a luz da lua grande
manipula meus sentimentos
com um acorde suspenso
num ambiente de encanto

acho justo que o Sol
se faça ouvir
na quinta grandeza
do amanhecer

pois na sexta e na sétima
o sentimento já
não sente a pele
e o perfume dos cabelos
já está em minhas mãos

e quando me lembro
do olhar
lembro-me do teu sorriso
habituado a caminhar
ao seu lado na praia

isso me lembra que 
os azuis de Palawan
exigem o esquecimento
dos perigos

e  o calor prazeroso das águas
da terra do gelo
é sinal de fogo
sob o chão

mas quem pode prever
um amor (?)

há amores que combinam
mas há amores
cuja resistência é pequena

neste caso
a energia vira
estrelas e arromba
o coração

e sob a luz
te vejo a lisura
te toco com meus olhos
te cognomino Helena




////////////////////////////////////////////////////////////////////////






quinta-feira, 6 de julho de 2017

PROFUNDO


Quem comanda
o mundo
é o caos

Deus está
longe como o céu

e dorme sob o
cobertor de carne
e o lençol da
mente

(na verdade
sou um príncipe
indigente)

só que hoje
eu não quero
falar de coisas
profundas

estou prestes
a tomar o
café da manhã

o que você sugere
maçã(?)
bom
a questão da maçã

imagine uma serpente
"vendendo" maças
de graça
você aceitaria(?)

acho que vou tomar
um leite com pão
na verdade foram ambos
não nos esqueçamos  de Adão

vou pôr café
no meu leite
AGORA
ora bolas

e não é que
ficou parecendo
a criação

eis onde eu
queria chegar

vou querer vitamina
pois
tudo neste universo
é uma mistura
de diversidades

homens tolos com
homens cultos
(é que o doutor
não vive sem o peão)

santos esbarrando
em prostitutas
boa gente
cruzando com ladrão

minha nossa
eu tenho que ir
chegou a hora de construir
meus castelos de matéria
nesses montantes
para um dia
largar tudo
e ir ao encontro "Dele"
na jusante

"rsrsrs"(
que cômico
falo como se Ele
não estivesse aqui






/////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////////